Sobre cultura pop [e amadurecimento]

Quem sabe o que procuramos -eu, tu, eles, nós- esteja ali, além do horizonte. Em Emmerald City, no Planeta dos Macacos, na Terra Média, a Ilha de Lost ou em algum lugar muito, muito distante [em uma galáxia igualmente distante]…

Quem sabe o que procuramos esteja além da tela da tv 20 polegadas que mal sintoniza o velho video-game. Aquela velha Telefunken que muito foi útil pra nos transportar para o mundo de Mario [sim, nós conhecemos o Mario]!
Quem sabe a Green Hill Zone seja mesmo o lugar ideal, ainda que para isso tenhamos que libertar animais indefesos de trabalho forçado.

Quem sabe todos venhamos a ser o agente 007 quando crescermos, Bond, James Bond, a serviço de Sua Majestade, com licença para matar, martini batido, não mexido. E claro, as Bondgirls…
Quem sabe todos possamos sair cantando e dançando na chuva pela alegria genuína de estarmos apaixonados, só de estar presente ali, na rua onde você vive…

Quem sabe o mundo ainda será compreensivo e repleto de amor como pedem as músicas dos Beatles, e as paisagens sejam coloridas e repletas de pessoas felizes como no livro em que temos que achar Wally [Waldo?].Quem sabe os únicos invasores do nosso mundo sejam os alienígenas do Atari… Dos quais podemos tirar um descanso apertando reset e mudando para o simpático e saltador Pitfall.

Quem sabe o mundo seja mesmo uma floresta imensa com céu azul e mundos submarinos [e até extraterrestres] exploráveis. Seja em 8 bits ou em 3D…

Quem sabe a vida seja como uma tarde em Itapoã, ao som do mar Itapoã, como aprendi desde pequeno ouvindo os discos -sim, cd’s não existem, o vinil reinará eternamente neste mundo- dos meus pais, tios e primos. Deitado em uma rede, se concentrando excessivamente no ato de não fazer nada.

Quem sabe a nossa juventude não seja mesmo uma banda numa propaganda de refrigerantes, e os mapas do acaso estejam escondidos nas entrelinhas do horizonte. Quem sabe, talvez. [HG vai me perdoar pelas citações. Vai?]

Quem sabe nós mesmos deixamos escapar as pequenas alegrias em cada suspiro, em cada pedra movida do meio do caminho. Um Peter Pan dentro de cada um.

(por Thiago Britto)

Source: https://medium.com/@thiagobm/sobre-cultura...